Redução de Custos de Manutenção na Indústria de Papel e Celulose

Frequentemente recebo demandas para aumentar a durabilidade de peças de equipamentos da indústria de papel e celulose. O processo de fabricação do papel tem início no plantio da floresta, passa pelo corte, picagem, formação da polpa, depois vai pro branqueamento, secagem e por fim, a formação da folha. Devido a sua grande participação no mercado mundial, a indústria de papel e celulose busca, de maneira incansável, produzir mais, com mais qualidade e custo competitivo.

Os custos indiretos de fabricação (relacionados à manutenções corretivas e preventivas) exercem impacto considerável na redução da margem de contribuição dos fabricantes de papel e celulose. O processamento da madeira até a transformação em celulose e posteriormente em papel é agressivo e os equipamentos são desgastados por abrasão e erosão (gerados por partículas sólidas) e por corrosão (devido ao uso de produtos químicos no processamento).

Nossa experiência mostra que o desgaste de peças nessa indústria geram diversos prejuízos, mas considero os 3 impactos a seguir como os mais relevantes no que diz respeito aos custos de manutenção:

1 – Perdas de Produção: A indústria de papel e celulose supre o mercado local e exporta uma grande parte da sua produção. A frequente necessidade de substituição de peças ocasiona um grande número de horas de máquinas paradas que exerce impacto na quantidade de produto produzido num determinado período de tempo.

2 – Qualidade do produto fornecido: Equipamentos que rodam com peças desgastadas produzem produtos com qualidade inferior àquela exigida e com produtividade inferior à prevista. Se uma faca de um picador, por exemplo, for desgastada, vai gerar um cavado desuniforme.

3 – Redução das margens de lucro: O desgaste acelerado de peças requer substituições frequentes, manutenção de peças onerosas em estoque e grandes equipes especializadas.

As oportunidades de ganho de competitividade para essas empresas são inúmeras. Especialmente pelo aumento da disponibilidade de tratamentos de superfícies de alto desempenho no mercado nacional. O que percebemos é que essas oportunidades não são aproveitadas da melhor maneira possível, seja pelo elevado nível de atividade dos profissionais de manutenção ou pela ausência de conhecimento das tecnologias disponíveis

Eu gostaria de compartilhar com vocês 3 dicas que considero muito importantes para os fabricantes de papel e celulose melhorarem o nível de produção sem necessidade de investimento em novos equipamentos e com redução de custos de manutenção:

1 – Definição da situação problema: Não basta simplesmente sair mudando o material de uma determinada peça. Para definir o problema a ser tratado, é importante ter um entendimento claro do ambiente tribológico. Identificar todas as variáveis que estão envolvidas no processo para definir o mecanismo de desgaste que está atuando é, quem sabe, o passo mais importante. A chance de acertar na solução vai ser muito maior.

2 – Escolha de uma nova especificação: A partir do momento que o engenheiro de manutenção tem conhecimento do mecanismo de desgaste que está atuando na superfície da peça, é possível determinar uma nova especificação de material, realização de tratamento térmico, em muitos casos, aplicação de revestimentos contra desgastes aplicados por aspersão térmica, por exemplo.

3 – Teste preventivamente: Eu recomendo a realização de testes preventivos. É muito mais rápido e barato testar a nova especificação com testes normalizados. Existem uma grande quantidade de laboratórios no Brasil aptos a simular diversos tipos de ambientes. Com o conhecimento dos resultados é possível realizar os ajustes no projeto para gerar a situação de melhor custo benefício.

Confira a seguir o estudo de caso que preparamos sobre as soluções contra desgastes para a indústria de papel e celulose.

Compartilhe este conteúdo:

Soluções contra Desgastes para a indústria de Papel e Celulose

Veja nessa apresentação como melhorar o desempenho da manutenção na indústria de papel e celulose.

ico-estudo-de-caso-2

Entre em contato conosco

Descreva abaixo de que forma podemos auxiliar o seu negócio:

    Entre em contato conosco

    Descreva abaixo de que forma podemos auxiliar o seu negócio:

      Qual é a sua necessidade?

      Entre em contato conosco e descreva qual o seu problema para que possamos avaliar de que forma podemos auxiliar o seu negócio:

      Conheça os revestimentos contra desgastes metálicos e cerâmicos utilizados pela Rijeza.

      Conheça as principais aplicações dos revestimentos contra desgastes na indústria.

      Rijeza Metalurgia

      Revestimentos contra desgastes

      RS 240, KM 4, 3815, Bairro Scharlau
      São Leopoldo – RS

      Desenvolvido por
      SiriusPrime

      Qual a sua necessidade?

      Descreva abaixo de que forma podemos auxiliar o seu negócio:

        Agradecemos pelo seu interesse!

        Faça o download deste material clicando no botão a seguir:

        ×

        Olá!

        Clique no contato abaixo para iniciar uma conversa:

        × Como podemos ajudá-lo?